Domingo, 10 de Agosto de 2008

A intimidade roubada

 

O primeiro papparazzi conhecido morreu em Auschwitz e, como tal, podemos deduzir que a profissão não remonta aos tempos da Antiguidade. Um papparazzi nunca será tão reconhecido quanto as pessoas que fotografa e a quem, na maioria das vezes, rouba algo. Irrompe pelo espaço privado para fazer uma espécie de assalto à intimidade das caras conhecidas.

 

Ainda há uns dias atrás, Nicole Kidman e Keith Urban pediam para que não os fotografassem de modo a poderem gozar um período de descanso em família em paz. Paz é palavra que os papparazzo parecem não ter aprendido na escola primária.

 

Críticas à parte, vamos à parte interessante deste post. Está, a partir de hoje, patente na fundação Helmut Newton em Berlim, uma exposição que inverte os papéis e mostra fotografias de papparazzo em plena acção.

 

Mesmo que não passe por aqui um leitor português com a sorte de andar por Berlim, vale a pena ver a amostra que o El Pais deixou disponível online. Ali em cima podem já ver Marlon Brando ( que nuestros ermanos da dita publicação insistem em chamar Marlon Brandon) com um perseguidor atrás de si, bem protegido, por sinal.

publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 12:08
link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar

subscrever feeds

posts recentes

A intimidade roubada

arquivos

Janeiro 2010

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

tags

todas as tags

links