Quinta-feira, 18 de Dezembro de 2008

Dramas, futilidades e manicures competentes

 

Homem não entra aqui. Esta podia bem ser a tagline de Mulheres!, o filme de Diane English que recupera a fita realizada por George Cukor em 1939. Típicas mulheres de Manhattan, ricas, independentes e muito fashion que não dispensam uma cuidada sessão de manicure nem um competente corte de cabelo são as protagonistas de um filme onde o universo feminino é retratado ao pormeno. Pena que fique reduzido a uma mão cheia de dramas e futilidades.

 

Na fita de 1939 com o mesmo título eram Norma Shearer e Joan Crawford quem interpretava os papéis de uma abastada esposa e mãe e de uma manipuladora empregada de perfumaria. O cenário mudou, a perfumaria surgiu agora modernizada, a história foi trazida para os tempos modernos e as protagonistas passaram a ser Meg Ryan e Eva Mendes. A primeira veste a pele de Mary Haines, uma esposa consumida pelo casamento em detrimento das suas apostas pessoais que descobre, durante uma visita ao salão de beleza, a traição do marido. O alvo de desejo de Stephen Haines é Crystall Allen, uma lojista de balcão que aconselha perfumes e manipula homens casados.

 

Mas o elenco central não se fica por aqui e vai buscar mais algumas pérolas do universo feminino. Annette Bening, – o melhor do filme, diga-se em boa verdade – Debra Messing e a senhora Will Smith, Jada Pinket, são as peças que compõem o círculo de amigas pronto para amparar Mary no momento em que a bigorna lhe cai em cima. E a fazer uma perninha ainda se juntam Bette Midler e Candice Bergen.

 

Mulheres! Pretende ser um ensaio sobre as particularidades do cosmos feminino e ir buscar força às interpretações do dispendioso elenco que a realizadora Diane English (que realizou 37 episódios da série Murphy Brown, também uma afirmação sobre o poder das mulheres) conseguiu reunir. O problema é que acaba por cair numa imagem quadrada e estereotipada que nem chega aos calcanhares do atrevimento de O Sexo e a Cidade nem tem o encanto de 8 Mulheres.

 

Apesar de uma ou outra cena com um realismo sincero e de uma ou outra passagem com humor inspirado, geralmente com Annette Bening pelo meio, Mulheres! é apenas um espectáculo de glamour comercial que atravessa os corredores de um centro comercial e que faz daquelas mulheres em questão personagens quadradas, planas e sem muito mais para mostrar do que unhas bonitas e cabelo arranjado.

 

Ficha Técnica

 

publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 11:57
link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar

subscrever feeds

posts recentes

Em coma...como a Noiva de...

Estrelas de cinema na pub...

Ensaios de luxo

Uma visita com Walt

Desculpas e mais desculpa...

O Sítio das Coisas Selvag...

Trailer de The Lovely Bon...

Ela quase emigrou mas est...

arquivos

Janeiro 2010

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

tags

todas as tags

links