Quinta-feira, 11 de Dezembro de 2008

Bolt: Para ver em 3D, depois de ver a versão original

Começo com o alerta de que é pecaminosa a tradução de Bolt mas, como não há outra hipótese de o ver em 3D, lá teremos de nos contentar. Aqui ficam algumas notas sobre o filme saídas agora do sítio do costume.

 

E se um actor acreditasse ser realmente uma das personagens que interpreta? Se vivesse toda a sua vida numa farsa em que acredita piamente? Em Bolt, o novo filme da Disney, depois de John Lasseter ter assumido a direcção criativa da Disney/Pixar, o actor é um cão, herói numa série televisiva de sucesso, que julga que, fora do ecrã, pode continuar a ser um super canídeo.

Ainda que não tenha a raça nem a coleira de campeão de um filme da Pixar, a nova aventura vinda dos estúdios de animação Disney – a primeira com John Lasseter como director criativo para além do estúdio que ajudou a fundar – não deixa de ser uma aventura refrescante, com personagens fortes e, mais importante que isso, a primeira a ser construída de raiz a pensar na exibição em 3D Digital. A história, como em quase todas as que saem das mentes destes criativos, é simples mas tem um encanto considerável, oferecendo, graças à tecnologia 3D, cenas de acção servidas ao colo do espectador, com esferovite a saltar-lhe para a cara e um focinho muito grande a surgir do lado de fora do ecrã.

Bolt foi adoptado pela jovem Penny em pequeno e desde então que a sua função, para além da de fiel companheiro, tem sido representar o papel de um cão-herói numa série muito bem sucedida. Mas o que Bolt desconhece é que aquele papel não dura para lá das paredes dos estúdios. Lá fora, os seus super-poderes deixam de existir e a eficácia a salvar a sua dona torna-se ineficaz. É por isso que, quando num episódio, Penny é raptada pelo mau da fita, Bolt julga que tudo é verdade e parte para o mundo real na tentativa de a salvar. Pelo meio encontra uma gata com azedume a jorrar pelos poros e um delicioso porquinho-da-índia, o maior fã da celebridade canina.

Mesmo que, olhando para o resultado final não se adivinhe, a produção de Bolt foi acidentada. A película começou por chamar-se American Dog e tinha no lugar de realizador Chris Sanders (Lilo & Stitch) mas, devido a visões distintas entre o que o realizador queria que tomasse forma e aquilo que John Lasseter queria ver no ecrã, foi a dupla Chris Williams e Byron Howard que acabou por tomar conta do projecto. E o produto que agora chega aos cinemas não deixa o espectador a pensar que algum dia possa ter havido obstáculos ou indecisões.

O conto não tem o poder que todas as longas-metragens da Pixar conseguem alcançar (tendemos a apostar que serão clássicos daqui a 30 ou quarenta anos) mas, sendo uma fita para digestão mais rápida, é convincente. Talvez a principal diferença seja a de que Bolt tenta chegar primeiro a um público mais jovem e, só como consequência, à faixa etária adulta. E isso nem os clássicos da Disney nem os (quase) clássicos da Pixar fazem. Não têm qualquer idade a rotulá-los.

publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 12:41
link do post | comentar
2 comentários:
De helga a 28 de Dezembro de 2008 às 08:33
o filme do bolt e muito fixe o pessoal deve todo ir ver que é magenifico adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
De daniela a 7 de Janeiro de 2009 às 20:47
este filme e bue de fixe

Comentar post

mais sobre mim

pesquisar

subscrever feeds

posts recentes

Em coma...como a Noiva de...

Estrelas de cinema na pub...

Ensaios de luxo

Uma visita com Walt

Desculpas e mais desculpa...

O Sítio das Coisas Selvag...

Trailer de The Lovely Bon...

Ela quase emigrou mas est...

arquivos

Janeiro 2010

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

tags

todas as tags

links