Terça-feira, 27 de Maio de 2008

Ainda há pouco o vimos em Michael Clayton

Recordamos com nostalgia África Minha ou Tootsie. Vimo-lo há tão pouco tempo em Michael Clayton. Tão bizarro que tenha sido companheiro de produtora de Anthony Minghella e que os dois tenham morrido pela mesma razão, no mesmo ano. Sidney Pollack faleceu ontem aos 73 anos e acrescentou o seu nome à terrível e abundante lista de mortes no cinema dos últimos tempos. Ainda estou em recuperação. Deixo-vos o artigo que escrevi para o sítio do costume sobre o realizador/actor/produtor.

 

O realizador de África Minha e Tootsie - Quando ele era ela faleceu ontem à noite na sua casa em Nova Iorque, vítima de doença prolongada. Sidney Pollack tinha 73 anos e era considerado por muitos o último grande realizador romântico de Hollywood.

O documentário Sketches of Frank Gehry sentou-o na cadeira de realizador pela última vez e Michael Clayton - Uma questão de consciência, garantiu que, na cerimónia dos Óscares 2008, estivesse na plateia com o nome a constar dos créditos de uma fita nomeada para a melhor do ano. Sidney Pollack esteve no activo até quase ao final. Foi só no ano passado que o avanço do cancro o obrigou a deixar a meio as filmagens de um documentário sobre as presidenciais americanas, mais particularmente sobre o caso da recontagem de votos na Flórida.

Pollack começou a carreira na sétima arte como actor e nunca deixou o papel mas, termina ainda mais reconhecido enquanto realizador e com uma intensa actividade como produtor. África Minha, de 1985, com Meryl Streep e Robert Redford, venceu sete Óscares e valeu-lhe a condição de melhor realizador daquele ano. Já três anos antes, Tootsie - Quando ele era ela, tinha recebido dez nomeações para os prémios da Academia e tinha arrecadado um (o de melhor actriz secundária para Jessica Lange).

 

Enquanto produtor, Sidney Pollack era reconhecido pelos seus filmes independentes, alguns dos quais feitos com o companheiro de incursões cinematográficas, o realizador também falecido este ano Anthony Minghella. Os dois mantinham a produtora Mirage Enterprises cuja lista de filmes inclui títulos como Cold Mountain ou o último documentário de Pollack, Sketches of Frank Gehry.

Sidney Pollack, o incurável romântico da cidade das estrelas, dirigiu actores como Burt Lancaster, Jane Fonda, Robert Mitchum, Al Pacino, Tom Cruise, Harrison Ford ou Nicole Kidman e nunca abandonou os seus projectos, até muito perto do fim, numa Hollywood que acreditava já não ser a mesma dos seus tempos altos mas onde continuava a criar ou a participar em filmes para o grande público. Dizia em alta voz acreditar não ser «impossível fazer filmes mainstream verdadeiramente bons» e não era muito dado a fascínios pelo sucesso. Sidney Pollack, oscarizado, realizador, actor e produtor preferia não ceder ao estrelato e assumir os defeitos: «eu nunca fui aquilo a que se possa chamar um grande cineasta ou artista visual».

publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 08:53
link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar

subscrever feeds

posts recentes

Em coma...como a Noiva de...

Estrelas de cinema na pub...

Ensaios de luxo

Uma visita com Walt

Desculpas e mais desculpa...

O Sítio das Coisas Selvag...

Trailer de The Lovely Bon...

Ela quase emigrou mas est...

arquivos

Janeiro 2010

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

tags

todas as tags

links