Segunda-feira, 30 de Abril de 2007

Acabo de Ver…Cenas de Natureza Sexual

81036-large.jpg

30/04/07 - Cenas de Natureza Sexual: Um parque, uma tarde e sete casais. A qualidade dos diálogos não chega para fazer esquecer a fragmentação do argumento. A estética da televisão deslocada num filme para cinema.[odeo=http://odeo.com/audio/11266753/view]Download
publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 20:28
link do post | comentar

8 blogues, 5 filmes, 1 realizador

abril.jpg

É num misto de honra e orgulho que vos trago uma novidade. Fui convidada pelo vizinho Knoxville, do Cinema Notebook (CN) para me juntar à iniciativa que todos os meses tem lugar de publicação no dito blog sobre cinema.

O Elite Criativa passa, assim, a ser o oitavo representante a ter direito a opinião na tabela de estrelas do CN. Para além da minha inclusão, este mês de Abril traz outra novidade à habitual tabela. Ela passa a conter não só as classificações para alguns dos filmes estreados mas também a escolha do filme favorito de um realizador a designar mensalmente.

Obrigada ao Knoxville pelo convite e um cumprimento aos donos de todos os outros blogs que agora vão ter de conviver com o nome do meu estaminé.
publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 18:17
link do post | comentar | ver comentários (4)

Gardener of Eden: Mesmo que seja uma desilusão, vale pelo poster

Roubando a descoberta à malta do FirstShowing.net, decidi trazer-vos aqui o poster do filme Gardener of Eden.

Deste filme independente, pouco se tem falado, sabendo-se apenas que tem estreia marcada no Tribeca Film Festival, ainda a decorrer. Conta com alguns nomes sonantes como Erika Christensen e Lukas Haas e a sinopse diz mais ou menos isto: uma comédia negra virada para a vida insignificante de um homem que trabalha num restaurante e que ainda mora em casa dos pais.

É bem possível que o filme não mereça muitos aplausos mas pelo esforço e pela originalidade dispendidos no poster de promoção, fica aqui esta referência. Claro, deixo-vos também o alvo dos elogios.

gardener-of-eden-poster.jpg
publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 10:38
link do post | comentar

Um jardim, os casais e a natureza sexual

a16980221_large.jpg

Vi ontem, tentando não estragar a hora de folia futebolística da minha companhia (e, portanto, na sessão das 16h), Scenes of a Sexual Nature.

A premissa tem o seu potencial, consegue ser inspirada em alguns aspectos mas perde-se no caminho.

O fio condutor integra três aspectos comuns: uma tarde, o parque de Hampstead Heath em Londres e sete casais. A ideia é que, apenas ali, naquele espaço e com estes factores a reuni-las, as histórias dos sete se possam cruzar fluentemente (a trazer à memória, de certo modo, Love Actually) e dissertar sobre o que as leva àquelas situações: o dito cujo amor.

Os diálogos são arejados, muito fluídos e abordam a questão sem grande lamechice. Algumas interpretações são bem jogadas, com especial destaque para a de Eilleen Atkins.

O problema está na fragmentação do argumento. Como disse, a ideia é cruzar as histórias naturalmente mas, no entanto, isso não acontece de forma bem sucedida.

A desculpa para tudo são o local e o tempo em comum e, daí em diante, tudo parece estar justificado. Mas não está. Sentimos as entradas forçadas em muitos momentos e isso não nos deixa concentrar somente no que ali é positivo: os textos.

Também a realização é pobrezinha, denunciando Ed Blum como um homem da televisão ainda a tentar apalpar terreno no cinema. É preciso ter em mente que são dois meios distintos e que o produto final deve reflectir isso mesmo.

Mais logo, no Acabo de Ver, os desenvolvimentos destas histórias de natureza sexual.
publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 10:13
link do post | comentar
Domingo, 29 de Abril de 2007

Que filme vos faz salivar?

zodiac.jpg

Esta semana começa oficialmente o Verão de estreias com o primeiro dos filmes mais aguardados: a terceira aventura do aracnídeo em Spider-Man 3.

Os meses quentes prometem trazer de volta Shrek, Spider-Man e Piratas das Caraíbas. Na lista de fitas que nos põem a roer as unhas aguardando a sua chegada estão também Zodiac, de David Fincher e Grindhouse (ou melhor, Death Proof e Planet Terror em separado), da dupla Tarantino/Rodriguez.

Se tivesse de escolher aquele que mais me deixa a salivar de pura ansiedade, optaria pelo novo de sua santidade, o realizador de Seven e Fight Club. Eu fico com Zodiac. Sintam-se à vontade para opinar sobre a(s) vossa(s) escolhas aqui no Elite.
publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 19:03
link do post | comentar | ver comentários (3)

Nove minutos de ratos

ratatouille.gif

Na próxima Terça-feira, dia 1 de Maio, a Disney vai estrear online, para o comum dos mortais e gratuitamente, nove minutos do seu lançamento deste Verão: Ratatouille.

Temendo não conseguir combater os blockbusters destes próximos meses e não sendo uma sequela (algo que se tem tornado garantia de sucesso), a Disney dá este passo na promoção do filme, na esperança de despertar a atenção dos espectadores mais desatentos e menos interessados.

Com este pedaço de amostra, bem maior do que um trailer normal, miúdos e graúdos deverão ficar a salivar para ver o filme completo no cinema. Liguem-se aqui, na próxima Terça.
publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 11:36
link do post | comentar
Sábado, 28 de Abril de 2007

X-Men separados para o bem das finanças

xmen2.jpg

Os dois primeiros filmes da saga X-Men, realizados por Bryan Singer, traziam ao espectador uma convincente adaptação da BD e deixavam-no deliciado pelos humanos transformados nos mutantes que tão bem conhecia.

Quando Singer seguiu para outro super-herói, os pupilos do Professor Xavier ficaram condenados à morte num terceiro filme realizado por Brett Ratner que tentou trazer mais e mais poderosos mas apenas caiu no exagero que, lá para meio da fita, se tornou insuportável. Apenas a Fénix para fazer suportar aquilo (e toda eu sou fascínio pelos personagens X-Men).

Se todos juntos não resultam, nada melhor do que lhes tirar a alma e separá-los para, quanto a mim, fazer nada mais do que massas com essa individualização.

O primeiro a ganhar projecto foi, claro, um dos mais populares: Wolverine. Ainda sem realizador designado, a película vai chegar às salas com o habitual Hugh Jackman e com argumento de David Benioff (um dos responsáveis por 25th Hour). Neste deposito alguma esperança, aguardando, no entanto, a notícia sobre quem vai assumir o papel de realizador.

Outro dos heróis ou, neste caso, dos vilões, a sair do grupo para ter o protagonismo num filme só seu, vai ser Magneto. Sabe-se já que quem vai estar ao comando é David Goyer, realizador de Blade:Trinity e argumentista envolvido em Batman Begins, Blade e Dark City. O que me faz temer é o facto de a história reportar aos anos de juventude de Magneto o que, obrigatoriamente, faz com que Ian McKellen não seja o escolhido para regressar.

Sou fã do universo X-Men, da BD, dos desenhos animados e dos dois primeiros filmes. No terceiro, voltei-lhes as costas. Agora, olho com desconfiança para esta fragmentação que temo não ser mais do que uma manobra de marketing sem qualquer carinho para com os heróis mutantes. Se me surpreenderem, fico eternamente agradecida.
publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 11:27
link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 27 de Abril de 2007

Depois da pequena Ofélia, o primeiro papel em inglês

2006_pans_labyrinth_004.jpg

Ivana Baquero, a fantástica Ofélia de O Labirinto do Fauno, assinou o contrato que a compromete com o seu primeiro papel em língua inglesa.

O filme em questão chama-se The New Daughter e trata os conflitos de um pai solteiro que procura combater o comportamento sinistro da filha, mudando-se para um quinta no meio de nenhures (e cá está uma palavra curiosa).

O argumento é da responsabilidade de John Travis que foi buscar inspiração ao livro do escritor John Connolly.

Esta é a oportunidade para que a jovem de 12 anos, vencedora de um Goya, não fique esquecida depois da grande revelação na pele da pequena que bloqueia o mundo fascista e sangrento em que vive, imaginando um mundo só seu, carregado de faunos e as fadas.
publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 12:32
link do post | comentar

Darren Aronofsky: Assobios, vénias e Noé

indie_head_aronofsky_full1.jpg

Requiem for a Dream levou-o ao topo da escada. The Fountain criou cisões entre a crítica. Agora, é tempo de pegar no personagem que o fascina desde criança: Noé.

Darren Aronofsky parece sofrer de uma obsessão artística pelas pequenas coisas que o fascinam. O fenómeno aconteceu com The Fountain, que foi o seu bebé durante alguns anos e que esteve à beira de morrer. Contudo, o realizador insistiu, persistiu e ateimou até que encontrou aquele que era para si o elenco perfeito e encerrou a fita na altura em que a sentia ideal.

Segue agora para uma representação de Noé (não da história da arca) que, diz, não pretender ser bíblica. Será, sim, sobre o personagem e todos sabemos que o seu herói não será pintado a cor-de-rosa e revestido de fáceis passagens.

Fiquem com o texto delicioso do The Guardian que o confronta com os medos, os obstáculos, os becos sem saída e até sobre a relação com Rachel Weisz.

Deixo-vos com o trailer de Requiem for a Dream.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=qz45M9nVF0M]
publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 09:17
link do post | comentar | ver comentários (2)
Quinta-feira, 26 de Abril de 2007

Tribeca Film Festival: 73 estreias mundiais sob a organização de Robert De Niro

1082007042414593915robertg.jpg

Arrancou ontem, em Nova Iorque, o Tribeca Film Festival. O programa, diz-se, é inferior ao do ano passado mas, ainda assim, oferece 157 longas metragens, 88 curtas e 73 estreias mundiais. Afirma-se também a maior diversidade que o festival tem adquirido, sendo que, este ano, há filmes de 47 países.

Devido à programação do dia inaugural, que foi marcada pelos documentários internacionais com temas controversos, a conferência de abertura contou com a presença de Al Gore, uma escolha óbvia para falar sobre o tema.

O evento foi criado em 2002, no pós-11 de Setembro, sob a alçada de Robert De Niro, da produtora Jane Rosenthal e do seu marido, Craig Hatkoff, com o objectivo de animar a cidade. Desde essa altura, tem alcançado uma tremenda visibilidade e tem progressivamente aumentado o número de espectadores.

Uma das atracções desta edição do festival é a estreia de Spider-Man 3 em território americano, para a qual a venda antecipada de bilhetes já ultrapassou largamente as expectativas criadas.
publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 11:09
link do post | comentar

Direitinhos para o templo dos DVDs

Acontece que ontem foi feriado. Acontece também que tive de passar pelo Colombo. Ora, o que é que há no Colombo? A FNAC. O que é que acontece quando vou à FNAC? Dificilmente de lá saio sem qualquer coisa.

Desta vez vieram comigo os discos abaixo referidos.

the_queen_movie-751298.jpg

kill-bill-vol1.jpg

kill-bill-vol2.jpg

Estes dois últimos foram vistos e revistos sem nunca terem sido comprados. Já era altura de reservarem o seu lugar.
tags: ,
publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 10:29
link do post | comentar
Quarta-feira, 25 de Abril de 2007

Hal Hartley e a sua Fay Grim no Indie

1.jpg

Ontem foi noite de Indie. Desta vez, no São Jorge, por entre o calor insuportável (o senão do serão) e a pequena multidão que ali foi para ver Hal Hartley e a sequela de Henry Fool, 10 anos depois. Mais uma vez, o espírito Indie Lisboa fez-se sentir na sua forma mais contagiante.

Depois da breve apresentação do realizador, ali no palco, desarmado por todos os olhos atentos, veio Fay Grim. Como o próprio Hartley definiu na recepção, este é "um filme muito rápido, muito cómico e muito triste". É isto mesmo.

Fay Grim ( numa intrigante e descarada, no bom sentido, Parker Posey) é uma mulher americana, aparentemente comum. Subitamente é confrontada por um agente da CIA (Jeff Goldblum) que a interroga sobre uma série de livros escritos pelo seu ex-marido, Henry Fool (Thomas Jay Ryan). Acontece que os cobiçados escritos transportam informação que pode pôr em causa a segurança dos EUA e, consequentemente, são alvo de busca por parte de meio mundo terrorista.

A fita mistura pedaços de géneros. Veste quase tudo de um tom cómico, quando menos esperamos investe no drama e tem por base um thriller que traz à memória os antigos filmes de espionagem.

O argumento é aguçado na crítica e no humor, atravessando momentos hilariantes que puseram todo o São Jorge em altas gargalhadas. Os twists são muito bem conseguidos, principalmente na passagem inesperada do humor para a tragédia.

Regressa também a peculiar realização de Hal Hartley que, confesso, me acaba por cansar pelo posicionamento da câmara, sempre em ângulo inclinado. A intenção é perceptível e acho que esta opção consegue transmitir uma mensagem para além da que convencionalmente, as imagens e o texto contêm mas esteticamente não me toca no botão do fascínio.

Fay Grim atinge uma velocidade estonteante conseguida pelos diálogos inspirados e alucinantes que, em última instância, também imprimem rapidez à acção. Duas horas muito bem dispostas que, contudo, acabam por tomar um rumo diferente... Para mais informações vão ter de o ver quando chegar ao circuito normal das salas de cinema.

Cá está o trailer da praxe.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=lMaAFaRxZLM]
publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 20:12
link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar

subscrever feeds

posts recentes

Em coma...como a Noiva de...

Estrelas de cinema na pub...

Ensaios de luxo

Uma visita com Walt

Desculpas e mais desculpa...

O Sítio das Coisas Selvag...

Trailer de The Lovely Bon...

Ela quase emigrou mas est...

arquivos

Janeiro 2010

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

tags

todas as tags

links