Quinta-feira, 10 de Abril de 2008

Os zombies espanhóis outra vez

Já falámos e falámos disto mas não posso deixar de recordar que hoje é o dia de estreia de REC. Tenho medo de voltar a vê-lo agora. Sem a envolvente do Fantas temo que não goste assim tanto dele. Por agora, continua a parecer-me um senhor filme de zombies. Deixo-vos um artigozinho acabado de sair do sítio habitual.

No Fantasporto teve direito a aplausos, saltos na cadeira e gritos ocasionais. Foram os seus zombies que venceram o festival. Nos Estados Unidos, a máquina de Hollywood já lhe arranjou um nome em inglês e prepara um remake. Hoje, chega às salas portuguesas (normais) e promete deixar os espectadores a olhar para trás das costas. Sempre com o botão REC ligado.

REC é espanhol e leva-nos até um quartel de bombeiros que, por uma noite, recebe a visita de uma equipa de reportagem. O programado era ter uma jovem jornalista (a promessa vencedora de um Goya, Manuela Velasco) e o seu repórter de imagem a captar tudo o que um bombeiro faz numa noite. Mas esta não era uma noite vulgar.

Filmado pela câmara do operador de imagem, o filme é uma viagem alucinante por um prédio que tem muito mais do que uma idosa a precisar de ser salva. Os habitantes foram atacados por um vírus que os transforma em zombies e que os deixa com uma vontade incessante de morder os outros. A ajudar à festa, a polícia coloca o prédio em quarentena com os moradores, a equipa de reportagem e os bombeiros lá dentro.

  E, claro, não esqueçamos que REC tem uma personagem bem portuguesinha. Uma menina pouco afável que fez manchete em muitas capas de jornais. Mais não dizemos.

É um Cloverfield sem monstro, efeitos especiais ou uma grande cidade. É um 28 dias depois com zombies que não o são verdadeiramente. Muito mais claustrofóbico do que o projecto de J.J. Abrams, REC coloca o espectador dentro do edifício à espera que um dos infectados surja para o morder. Foi também o filme que teve o mérito de provocar ondas de susto na 28ª edição do Fantasporto e alguns gritos que muitos dos presentes não conseguiram conter.

No final do festival, foi o grande vencedor na categoria de cinema fantástico e o estatuto concedeu-lhe rapidamente uma data de estreia em salas nacionais. Este é REC, de Jaume Balagueró e Paco Plaza. Em Hollywood já se prepara uma versão em inglês mas a experiência já nos diz que o já intitulado Quarantine dificilmente poderá superar a sua musa inspiradora.

publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 11:10
link do post | comentar
1 comentário:
De The Nader a 10 de Abril de 2008 às 18:57
"[Rec]" é mesmo algo de muito impressionante. É um filme fabuloso feito aqui mesmo ao lado, hein?!...

Comentar post

mais sobre mim

pesquisar

subscrever feeds

posts recentes

Em coma...como a Noiva de...

Estrelas de cinema na pub...

Ensaios de luxo

Uma visita com Walt

Desculpas e mais desculpa...

O Sítio das Coisas Selvag...

Trailer de The Lovely Bon...

Ela quase emigrou mas est...

arquivos

Janeiro 2010

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

tags

todas as tags

links