Domingo, 27 de Janeiro de 2008

Rendition: "É a minha primeira tortura"



As imagens de Abu Ghraib correram o mundo. Soldados americanos abusavam de prisioneiros iraquianos, indo contra muitos dos seus direitos. É sabido que a política dos Estados Unidos em relação aos prisioneiros suspeitos de terrorismo não é meiga.

Rendition chega-nos nesta onda cinematográfica pós-11 de Setembro e destaca-se com um dos exemplares a recordar. Sem moralismos nem discursos políticos aborrecidos, a história de um egípcio casado com uma americana que foi preso secretamente e torturado sem demais explicações é-nos revelada através de um olhar crítico e angustiante.

Douglas Freeman (Jake Gylenhaal) é um analista da CIA que, depois do seu superior ter morrido durante um atentado no norte de África, se vê a obrigada a assumir o lugar de chefe. Ali, terá de assistir aos métodos de interrogatório menos correctos do mundo aplicados num egípcio residente nos EUA há 20 anos, casado com uma americana e com um filho nascido lá. Anwar El-Ibrahimi (Omar Metwally) foi detido secretamente quando chegava aos Estados Unidos depois de uma viagem. Os seus registos foram apagados do voo, a sua mulher não foi informada e ele, simplesmente, desapareceu no ar. Dali foi levado para uma pequena prisão africana onde é interrogado das formas menos simpáticas que se possam imaginar. A medida está contemplada na lei americana e chama-se Rendition. Autoriza detenções secretas a suspeitos de terrorismo.

A acção desenrola-se então entre o norte de África, onde Douglas tenta perceber que raio métodos andam a ser usados, e os solo americano, onde a mulher de Anwar (Reese Witherspoon) está bem grávida e procura pelo marido e onde Corrine Whitman (Meryl Streep), a senhora ruim e manda-chuva da CIA faz os possíveis para encobrir a situação.

Rendition mostra não só o ponto de vista americano mas também as angústias do outro lado. Critica os métodos e chama a atenção para o tipo de veracidade que se retira de um interrogatório forçado. Tudo isto, sem lições de moral nem sermões políticos em cenários bem estudados e demarcados entre si. A escuridão da cela, o brilho dos escritórios e o azul das dúvidas de Freeman.

As boas interpretações de um elenco de luxo que junta Jake Gylenhaal, Meryl Streep, Alan Arkin e Reese Witherspoon ajudam a que Rendition não passe despercebido no meio desta onda de thrillers políticos.

O ainda chocado Douglas Freeman assume em tom irónico, a dada altura, que aquela é a sua "primeira tortura". Se conseguirem um espacinho no meio da chuva de estreias da semana, passem por um cinema e deixem-se torturar também.
publicado por Quanto Mais Quente Melhor às 14:03
link do post | comentar

mais sobre mim


ver perfil

seguir perfil

. 86 seguidores

pesquisar

subscrever feeds

posts recentes

Em coma...como a Noiva de...

Estrelas de cinema na pub...

Ensaios de luxo

Uma visita com Walt

Desculpas e mais desculpa...

O Sítio das Coisas Selvag...

Trailer de The Lovely Bon...

Ela quase emigrou mas est...

arquivos

Janeiro 2010

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

tags

todas as tags